terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Conheçam a doença rara do garoto Hector de Souza

O garoto Hector de Souza, de 17 anos, nascido na cidade de São Paulo, cresceu perante à uma doença extremamente rara, chama pelos médicos de "Distúrbio da Inércia invertida" do latim Ainercia Quese Phoda.
Pra se ter uma idéia, a doença é tão rara mas tão rara, que não pode ser encontrada nem mesmo um artigo na Wikipedia sobre ela. Mas o que acontece de tão grave nesse distúrbio?
É algo extremamente estranho para um observador de fora, mas rendeu para Hector algumas conquistas. Nos fizemos uma entrevista com ele onde ela conta alguns casos curioso da sua vida:

"Bom, desde pequeno eu sofri bastante com esta merda. Por exemplo, a primeira vez que fui andar de bicicleta. Lembro que nesse dia, eu comecei a correr bastante na bike do meu irmão, ai derrepente passa um cachorro na minha frente e por impulso eu freiei a bike com bastante força, né? Foi ai que eu descobri que tinha esse disturbio, pois ai invés de ser lançado para frente com bastante velocidade, eu fui mandado pra trás, e cai de bunda no chão. Pelo menos não quebrei o resto dos meus dentes."

Hector conta agora o fato curioso que aconteceu quando ele estava na 6° série do ensino fundamental:

"Aconteceu o seguinte: estava eu e mais um pessoal jogando bola na quadra da escola, quando eu, sem querer acerto um chute no meio da cara de um bombadão da 8° série. Na hora que a bola pegou na cara dele, neguinho ja começou a gritar "PORRADA! PORRADA!". Eu pensei: "Fudeu.". Não deu outra, o bombadão veio pra cima de mim e me deu um soco no meio da cara.
Foi ai que minha doença me rendeu a glória, porque ao invés de ser mandado uns 5 metros pra longe do bombadão, eu fui jogado pra cima dele com mesme força e intensidade do soco que ele me deu. Foi quase um "Damage reclect". Só sei que ele ficou estirado no chão comigo em cima dele. A galera começou gritar de emoção, pois ninguem nunca tinha vencido aquele cara numa briga. Fui aclamado por todos e nesse dia conheci a Fernandinha, minha primeira na morada."

Para fechar a enrevista hector conta como ficou paraplégico:

"Eu gosto muito de futebol, e quando meu time ganhava um jogo não pensava duas vezes em surfar em cima de um busão com a galera. Bom, não preciso explicar muito. O motorista freiou derrepente e eu fui mandado direto nas rodas de um caminhão de lixo que estava vindo logo atrás. Eu sei que mereci."

Bom essa foi a história de Hector de Souza.

Boa noite.

2 comentários:

Evy disse...

Demais!!!!

Anônimo disse...

Aposto que ele não é cristão, senão Deus Jeová Senhor Lord do Universo Infinito, O Grande, já o teria curado!